O STJ seleciona o livro Cibernética Jurídica entre as obras a abordar sobre Criptomoedas

Tive a grande honra de participar como autor de um capítulo: “Se o objeto de estudo do leitor forem as provas digitais, tem-se a questão da computação forense aliada à prova pericial (Petter Anderson Lopes / Rio Grande do Sul)”

COMPUTAÇÃO FORENSE E A PROVA PERICIAL

Nota Introdutórias

Esta coletânea tem o sentido de deixar indeléveis marcas dos muitos passos já trilhados desde que Miguel Reale, em seu clássico livro de tantas reedições e múltiplas tiragens – “Lições preliminares de Direito” – tratava da Cibernética
Jurídica. Em sua projeção para um futuro que se revelou bem próximo, Reale ensinava que a essência era não só colocar à disposição do mundo jurídico os recursos da área digital, era necessário, também, fomentar a compreensão do comportamento humano segundo modelos da ciência da computação. O objetivo deste ensinamento, em obra que integrou a formação de gerações de operadores do direito, sempre foi, certamente, o de nos fazer pensar sobre situações que hoje se materializam em matizes sutis, passando a integrar nosso dia a dia jurídico, em silenciosa e indispensável inserção. No livro do mestre Reale, buscou-se inspiração e suporte para o título desta publicação Cibernética Jurídica: Estudos sobre o Direito Digital.
A capa se encaixa como símbolo perfeito: há alguma clareza no longo corredor do conhecimento, pontuado por curvas de indagações. A cada passo, muitos saberes a desvelar, no sentido literal da palavra: tirar os véus que toldam esferas de estudos sobre tema novo e complexo. Na curva, podem surgir bifurcações de opiniões, encruzilhadas de quase certezas, trilhas radicais de entendimento, novos reflexos de clareza solar e diferentes abordagens sombrias. A única assertiva inconteste é a necessidade imperiosa do estudo constante, visando ao aprimoramento que se impõe e, como tal, leva a seguir pesquisando, desvelando, registrando, descobrindo, em eterno e dinâmico gerúndio, que amplia seu diâmetro em espiral, açambarcando aspectos até então impensados.
Dentro desta moldura, cada autor apresenta o resultado de sua curiosidade intelectual. A liberdade para expor sua própria pesquisa, reforçando as muitas facetas, correntes e vertentes em construção a partir de suas referências pessoais, norteou os
convites. Em consequência, os textos trazem a marca registrada do autor: as leituras, as ilações, as constatações são todas, então, muito próprias de cada um e derivadas do caminho solitário daquele que pesquisa.
Assim, convidamos você, leitor, para navegar conosco neste e-book que, para efeitos de edição, ficou dividido em cinco partes, alfabeticamente ordenadas, respeitando o mesmo critério para os autores dentro de cada área. Desta forma, o leitor fica livre para, dentro do pluralismo temático, construir sua própria sequência de estudos. Pode optar por conferir sobre pagamentos em criptomoedas (Ricardo Antunes Silva / São Paulo); trajetória de bitcoin como investimento (Rosangela Tremel /Santa Catarina); crime de lavagem de dinheiro pela internet (Tatiana Lourenço Emmerich de Souza / Rio de Janeiro) ou mergulhar no aspecto humanístico através da educação digital (Adriano Augusto Fidalgo / São Paulo); do cyberbullying cuja
consequência pode ser suicídio ( Jonathan Cardoso Régis / Santa Catarina); da virtualização da vida ( José Eduardo de Miranda e Andrea Correia Lima/Goiás); das peculiaridades da gestão judicial (Omar Toledo Toríbio / Peru); do teletrabalho e
seus reflexos (Regina Célia Pezzuto Rufino / São Paulo); da violência que brota do mundo digital (Renan de Alencar Luciano / Ceará).

Se preferir pensar no “indivíduo indiviso”, há abordagem sobre liberdade de expressão (Felipe Chiarello de Souza Pinto e Arthur Bezerra de Souza Júnior/ São Paulo); sobre direito ao esquecimento (Guilherme Saldanha Santana / Maranhão), bem como estudo sobre fake news em geral ( João Massano / Portugal). Interessado especificamente em proteção de dados? O leitor encontra reflexões sobre medidas de conformidade para uso de dados pessoais (André Hakime Dutra / São Paulo); Marco civil da internet (Claudio Joel Brito Lóssio / Ceará); proteção à portabilidade de dados nas relações concorrenciais e de consumo (Guilherme Magalhães Martins / Rio de Janeiro e José Luiz de Moura Faleiros Júnior / Minas Gerais); regulamentação geral da proteção de dados como um todo (Nuno Felipe Romão Pereira / Portugal); Autoridade Nacional de Proteção aos Dados (Rafael Freire Ferreira / Bahia) ou especificamente sobre dados sensíveis (Viviane da Silva Coelho Vasques / Rio Grande do Sul)

Se o objeto de estudo do leitor forem as provas digitais, tem-se a questão da computação forense aliada à prova pericial (Petter Anderson Lopes / Rio Grande do Sul); a gravação das audiências (Renata Do Val / São Paulo) e os meios de prova em geral (Rodrigo Arantes Cavalcante / São Paulo).


Boa leitura!
Claudio Joel Brito Lóssio
Luciano Nascimento
Rosangela Tremel

 

É gratuito, link: https://www.juscibernetica.com.br/_files/ugd/9fd8b5_20b69f5a3c7b4024a11341b86a750120.pdf

Petter Anderson Lopes

Petter Anderson Lopes

Perito Judicial em Forense Digital, Criminal Profiling & Behavioral Analysis

Especialista em Criminal Profiling, Geographic Profiling, Investigative Analysis, Indirect Personality Profiling

CEO da PERITUM – Consultoria e Treinamento LTDA.

Perito em Forense Digital, Investigação de Fraudes | Perfilação Criminal e Análise Comportamental | OSINT, HUMINT | Autor e Professor | SI, Arquitetura Segura e Software Developer

Certified Criminal Profiling pela Heritage University(EUA) e Behavior & Law(Espanha), coordenado por Mark Safarik ex diretor da Unidade de Análise Comportamental do FBI, endossado pela CPBA (Criminal Profiling & Behavioral Analysis International Group).

Certificado em Forensic Psychology (Psicologia Forense, Entrevista Cognitiva) pela The Open University.

Certificado pela ACE AccessData Certified Examiner e Rochester Institute of Technology em Computer Forensics.

CBO 2041-10  "Elaboram laudo pericial, organizando provas e determinando as causas dos fatos. Realizam diligências, examinando locais, buscando evidências, selecionando e coletando indícios materiais e encaminhando peças para exames com ou sem quesitos. Analisam provas, peças, materiais, documentos e outros vestígios relacionados aos fatos. Efetuam cálculos, medições, assim como, solicitam e/ou realizam ensaios laboratoriais, utilizando e desenvolvendo técnicas e métodos científicos"

FEATURED

Cursos populares

Curso Perito Forense Digital

Atualizações constantes

Seja um Perito Forense Digital

 A estrutura essencial para você poder entrar no mercado da perícia digital.

Neste curso de 20h, você encontrará aulas de conhecimento obrigatório para quem deseja se aventurar na Forense Digital. Compreendendo OSINT, Forense em Memória, Forense em e-mails, introdução à Investigação, Inteligência Cibernética e muito mais.

Operadores da lei que desejam entender os procedimentos iniciais de uma atuação na perícia digital e alguns exemplos de análise/exame de material digital coletado. Compreender os princípios básicos da Forense Digital. Os conceitos irão fazer a diferença na sua carreira profissional.

OSINT - Investigação Cibernética em Fontes Abertas

Certificado em Investigação Cibernética em Fontes Abertas

(OSINT, HUMINT, SIGINT)

Este curso irá te apresentar conceitos, técnicas e ferramentas para conduzir uma Investigação Cibernética em Fontes Abertas. Aqui será possível entender como fazer a investigação e manter-se no anonimato, investigar incidentes cibernéticos para apoio a equipes de resposta a incidentes. São abordados também assuntos como Criminal Profiling e o Ciclo de Inteligência do FBI, ampliando a visão no processo de investigação.

.

Curso Perfilação Indireta da Personalidade

Certificado

Curso - Introdução à Perfilação Indireta da Personalidade

A aplicação da Perfilação Indireta da Personalidade permite uma avaliação da personalidade do sujeito sem que ele saiba que está sendo avaliado, por meio de seus comportamentos e relações interpessoais. É uma técnica para coletar informações sobre a personalidade tanto da vítima quanto do agressor e a relevância da personalidade cruzada entre ambos.
Qual a contribuição para Análise de Credibilidade e Investigação de Fraudes? Qual a sua importância para  a Entrevista (forense, recrutamento e seleção, em casos de negociação com reféns, negociação empresarial, interrogatório, etc...)? É útil conhecer a personalidade de alguém para planejar uma intervenção policial com ele? A personalidade pode nos ajudar a entender por que um determinado crime ocorreu? É útil com um entrincheirado? com uma testemunha? com fonte humana? Para preparar um disfarce para um agente disfarçado? Para esclarecer um crime simulado?
Importante também no procedimento de autópsia psicológica.
Conteúdo:
1.Criminal Profiling;
2.Perfil Criminal;
3.Negociação (Com reféns, comercial, etc…);
4.Persuasão;
5.Entrevista (vítimas, suspeitos, testemunhas, …);
6.Levantamento de informações de fontes humanas (HUMINT);
7.Atendimento ao público (clínicas, hospitais, etc…)

.

Engenharia Reversa na Forense Digital - Udemy

Em nova plataforma

Atualizações constantes

Certificado em Engenharia Reversa e Análise de Malwares na Forense Digital

Aqui você compreenderá a utilização da Engenharia Reversa aplicada em Forense Digital, bem como a Análise de Malware.

O curso aborda diversos conceitos de forma prática. O estudo é baseado, em sua maioria, no .NET e .NET Core, pois é uma tecnologia que está sempre em evolução, sendo adicionada inclusive em Linux e MAC, ou seja, com o .NET Core, agora é multiplataforma.

Introdução ao Criminal Profiling

Análise de casos reais

Curso - Introdução ao Criminal Profiling

O Criminal Profiling é o processo de observação e reflexão com base na análise das evidências coletadas na cena do crime . A técnica de criação de perfil visa identificar e interpretar o comportamento ou as ações do crime com o objetivo de prever a personalidade do infrator, seu modus operandi e, possivelmente, as motivações para o crime. O objetivo da definição de perfil é, no entanto, não apenas obter uma possível identificação de características importantes do ofensor, mas também evitar a repetição de crimes semelhantes no futuro.

Aqui você conhecerá:

O que é Criminal Profiling?
A História do Criminal Profiling
A Psicologia Investigativa
Método BEA
Vitimologia
Transtornos de personalidade
Mass Murder, Spree Killer, Serial Killer
Predador Sexual em Série, Mitos
Abordagem Geográfica, Clínica, Top Down, Bottom Up
Modus Operandi e Assinatura
Coleta e Processamento de informações
Avaliação do crime
Hipóteses de perfil
Uso investigativo